Tag Archives: mate

Maquiagem – Pele De Veludo (Tendência)

14 Nov

Na moda Outono/Inverno 2013 vimos imenso esta tendência da pele aveludada. A pele aveludada não é só uma pele mate, é o equilibrio delicado necessário para que apele não tenha brilho porém continue luminosa. Confuso? Prometo que simplifico.

Pele de veludo

Há dois caminhos para chegar à meta que é a pele aveludada. Porém, têm as suas semelhanças: a pele precisa de estar limpa e bem hidratada, de preferência com um hidratante que seja oil-free, matificante ou que, em último caso, não deixe uma película à superfície da pele. O outro pré-requisito é que as imperfeições estejam corrigidas, o que se alcançará usando um bom corrector. Posto isto, vamos às duas técnicas:

  1. Uso de uma base mate ou aveludada – pois é, está o trabalho meio feito! Realmente é a solução mais rápida e prática, mas tem os seus senãos. Para que a face não pareça plana (algo que acontece frequentemente quando se usa uma base muito mate ou se exagera no pó), será preciso algum contorno para redefinir feições. Um bronzer deve ser aplicado nos pontos de contorno normais (em especial por baixo do osso da face e no côncavo dos olhos, podendo aqui ser substituído por uma sombra neutra). Para dar a luminosidade que se pede, então, à pele de veludo, a opção será usar uma sombra mate mais clara do que a pele em três a quatro tons e aplicar nos pontos altos da face, como o osso da sobrancelha, o osso das faces, cana do nariz e topo do lábios superior (o “arco do cupido”). O jogo luz/sombra e o acabamento da base escolhida fazem o efeito completo;
  2. Matificar uma base – se a base de que dispomos não é já de si mate, então há também algo a fazer. Tudo vai começar com um primer matificante se houver essa disponibilidade. Depois, já se falou, corrigir a pele e, claro, aplicar a base. Agora é ir pegar no pó e usar de modo a que a pele fique bem matificada na zona T (testa, nariz e queixo) e menos bem empoada nas faces. O contorno já descrito pode ser feito se for necessário, se bem que por não se ter matificado totalmente as faces não fará a face tão plana, mas o iluminador pode ser dispensado.

Para acompanhar a pele mate, eu gosto de ver um blush também ele mate e os olhos ou os lábios com bastante brilho. Assim não se correrá o risco de parecer datado ou demasiado seco e empoado, o que não favorece ninguém! Isto é porém a minha opinião pessoal, e há aqui imensa liberdade de escolha. Eu iria pela utilização de um blush mate, sombras totalmente mate e uns lábios com um gloss super brilhante (estilo efeito molhado) porque é o que mais aprecio. Poder-se-ia utilizar uma sombra cintilante ou com glitter até, só desaconselho a acetinada porque nem é mate nem é brilhante – fica ali no meio e “perde-se” completamente.

Penso que as pessoas com pele mista ou oleosa gostaram mais deste look, é natural que quem tem a pele seca antes prefira algo mais luminoso. Falaremos dos meus iluminadores favoritos amanhã! As pessoas com pele matura devem evitar este efeito na pele porque muito pó envelhece e marca muito, sendo que devem optar por algo mais leve e luminoso se quiserem disfarçar o facto da pele já não estar completamente jovial.

Maquiagem – Tudo Sobre Batom Mate

5 Set

Na verdade, batom mate nunca sai de moda, mas de vez em quando volta em força e fica, literalmente, nas bocas do mundo. É o caso do Outono que aí vem com várias marcas a lançar colecções só dedicadas a este acabamento (o caso da MAC, como já apresentei aqui) ou com muitos batons mate no rol de lançamentos. É altura de falarmos a fundo do meu tipo de batom favorito!

Gucci Milan Fashion Week  A/W 2012

Gucci Milan Fashion Week A/W 2012

O termo “mate” significa desprovido de brilho. É um acabamento que não reflecte luz nenhuma e é o exacto oposto do gloss – qualquer cor e qualquer tom pode ser mate, o que importa mesmo é o efeito final. Usar batom mate tem as suas vantagens além de estar na moda – a cor geralmente é muito mais pigmentada (ou seja, o batom “pinta” mais) e dura muitíssimo mais tempo. As desvantagens passam pelo facto de que, se for aplicado incorrectamente, pode chamar atenção para qualquer imperfeição do lábio ou da aplicação em si e pelo facto de que podem dar um efeito ressecado aos lábios. O look mate é um pouco mais severo, mas é um clássico inegável.

Há várias maneiras de conseguir um look mate, mas os mais fáceis e comuns passam por comprar um batom que já de si é mate ou, então, deixar o batom e lado e pegar só no lápis. As mais complicadas e “avançadas” passam por colocar pó ou uma sombra da cor do batom por cima do produto aplicado para o tornar mate e mais pigmentado. Seja qual for a técnica escolhida, partir com lábios hidratados é imperativo! As texturas mate tendem a secar os lábios e a fazer com que toda a secura que exista pareça mais evidente – esfoliar regularmente também ajuda. Claro que nem todos os batons mate são criados da mesma maneira e às vezes até dentro da mesma marca diferentes cores ou diferentes linhas, apesar de mate, são diferentes. Hoje em dia as formulações mais avançadas e de mais qualidade aplicam como se fossem cremosas, continuam confortáveis mas efectivamente o batom assenta com um aspecto de pó.

Lápis Sephora!

Lápis Sephora!

Quando se usa um batom mate, a minha melhor dica é esquecer o mate no restante look, em especial se se tratar de uma cor forte ou escura. Não quer dizer que se abuse do glitter (e daí!), mas uma base luminosa com o mínimo de pó possível e sombras com um acabamento, no mínimo acetinado tiram o “peso” a rigidez ao look. Esta dica é especialmente importante para quem já mostra alguns sinais da idade.

Outra coisa importante a saber com batons mate é que é muito importante a precisão no que se está a fazer, já que qualquer erro é grandemente ampliado! O uso de um lápis quando a cor do batom é forte ou, no mínimo dos mínimos, um pincel seja qual for a cor vai garantir um desenho do lábio mais aperfeiçoado.

Apesar de ser raro um batom mate (de qualidade) necessitar de retoque durante o dia a não ser que se coma algo particularmente gorduroso, quando se fizer o retoque deve secar-se bem os lábios com um toalhete de papel e reaplicar o mínimo necessário para o tal retoque ficar apresentável (isto porque o batom mate seca e camada em cima de camada acaba por ficar empastado). Se ainda assim a fixação do batom deixar a desejar, seja porque se comprou um batom de menos qualidade ou simplesmente porque já vai da própria pessoa, um primer de lábios é a receita para o sucesso.

Rouge Allure Matte da Chanel

Rouge Allure Matte da Chanel

O batom mate é o meu favorito, e o vosso, qual é? Cintilante, acetinado, cremoso, com glitter, glossy…?

Novidades – Bobbi Brown Creamy Matte Lipsticks

10 Out

Não sou propriamente fã do “look”  Bobbi Brown (“menos é mais”? Certo…), não sou propriamente fã do balcão Bobbi Brown mais perto de mim, mas do que eu sou propriamente fã é de batons mate.

Os batons mate são aqueles batons sem brilho, que me lembram sempre a maquiagem vintage. Regra geral, têm uma durabilidade imensa e são extremamente pigmentados, sendo bastante opacos.

O problema deste tipo de acabamento se brilho é que, não raras vezes, é desconfortável por ser seco. Contudo, a Bobbi Brown lança agora uma nova linha de batons mate que promete a mesma quantidade de cor e acabamento mas uma cremosidade que dá um conforto extra.

Claro que me chama a atenção, especialmente porque existem 12 cores distintas, do coral ao vermelho, do fuchsia ao beige. Outra coisa em que reparei é que a imagem promocional não tem nada a ver com o estilo normal da marca. Batom vermelho, pele super iluminada e aquele blush que salta a vista não são, de todo, algo que se espere de Bobbi Brown. Gosto, mas fiquei surpresa.

Agora resta-me tentar ficar muito quietinha em casa e não me aproximar de pontos de venda da marca. Parece-me mais seguro para a minha carteira não chegar nem perto destes batons!

Novidades – Vernizes Soft Touch Layla (Acabamento Mate)

19 Set

Hoje venho dar-vos umas palavrinhas sobre os vernizes novos da marca Layla. Estes vernizes são matte (ou mate, quer dizer, sem brilho). A marca está disponível nas lojas Carlos Santos, no El Corte Inglés e em algumas perfumarias.

Este vermelho, o número 08, impressionou-me muitíssimo – é lindíssimo, fácil de aplicar e com duas camadas tem uma durabilidade muito boa (4 dias nas minhas mãos). Realmente o toque dele é interessante, lembra veludo quando o verniz está perfeitamente seco.

O efeito matte é muito notório e dá um ar muito sofisticado e elegante às mãos. Este efeito só aparece quando o verniz seca e, verdade seja dita, enquanto não se passa uma boa meia hora de secagem, o efeito não é lá grande coisa já que vai parecer manchado por haver zonas mais ou menos secas.

Acho os vernizes matte muito apropriados ao Outono e são uma opção discreta para quem gosta de um verniz diferente mas não pode, não gosta ou não quer nada demasiado óbvio ou espalhafatoso. Este verniz foi direitinho e num instante para a minha lista de favoritos!

 

Já o verniz azul, número 10, não me agradou muito. A aplicação não é tão fácil (sendo que há “pontos fracos”, onde o verniz acaba sempre por ficar mais fino do que no resto da unha), dura muito menos (dois dias nas minhas mãos, mas sou uma pessoa activa) e o tom parece-me tão próximo ao de outros vernizes de outras linhas da marca que não sei até que ponto se destaca.

O toque é quase igual ao vermelho, mas o efeito visual perde-se completamente por causa da purpurina – na verdade até acho que o verniz ganha muito mais dimensão e beleza com uma top coat com o brilho comum dos vernizes. Para ser sincera, não acho que o que torna esta linha especial em termos visuais (ou seja, ser matte) sobressaia no verniz com glitter. É uma pena!

A linha Soft Touch da Layla é composta por vernizes “lisos” como o vermelho e purpurinados como o azul e há muitas escolhas em termos de cores! Estará disponível este Outono nos pontos de venda da Layla.

%d bloggers like this: