Tag Archives: face

Cuidados De Pele – A Máscara Certa Para Mim

18 Nov

Nem sempre é fácil escolher estas coisas, partimos do princípio que a escolha deve ter por base o nosso tipo de pele e é bem verdade, mas há sempre mais qualquer coisa a ter em conta! Antes de mais, convém que saibamos o nosso tipo de pele.

máscara facial beleza

Pele Seca ou Sensível – É a pele que mais sofre com agressões, logo, não deve nunca descurar as máscaras para ajudar a hidratar e acalmar a pele. A máscara deve ser cremosa, sem caulino ou outro tipo de argilas e não deve ser do tipo que tem pequenas esferas esfoliantes.  Devem ser aplicadas em camada generosa, deixadas por 10 a 20 minutos e depois o excesso deve-se retirar com um disco de algodão sem esfregar. Uma boa máscara para pele seca trará um novo conforto à pele e, regra geral, podem ser deixadas durante a noite na pele desde que não contenham ácidos (ou seja, sirvam só para hidratar e não para rejuvenescer). A máscara hidratante da Avéne é a que mais gosto de recomendar.

Pele Oleosa – É o tipo de pele para o qual eu recomendo máscaras sem pensar duas vezes. Vai ajudar a controlar o óleo porque o absorve e e vai fazer uma limpeza mais profunda do que o regime de cuidados do dia-a-dia faz. As peles com acne podem e devem usar também máscaras, a minha favorita para pele oleosa e/ou acneica é a da Sampar que recomendo com imensa frequência, mas há boas máscaras de argila no mercado. O truque é usar a máscara de caulino/argila, deixar apenas 10 a 15 minutos conforme recomendado na embalagem (varia consoante a marca ou o produto em si) e usar logo de seguida uma máscara hidratante. Estamos a retirar óleo e logo a seguir a colocar hidratação, ou seja, a pele vai responder melhor e, com o tempo, a produção de óleo tenderá a diminuir. Também é uma excelente ideia para que a pele não fique demasiado sensibilizada. Já se sabe, depois de retirada a máscara para pele oleosa (deve-se retirar com água), é necessário aplicar hidratante ainda que não se deseje fazer a máscara hidratante.

Pele Mista – Geralmente é quem menos procura máscaras, mas não é que não beneficie delas! A pele mista a oleosa deve usar uma máscara para pele oleosa seguida de um bom hidratante e a pele mista a seca, deve usar uma máscara hidratante, porque hidratação nunca é demais. Uma auto-mini facial é sempre bem vinda, não é?!

As máscaras têm como principal objectivo dar um empurrãozinho ao tratamento que já fazemos, é um complemento que pode mudar tudo para melhor e, uma vez que nos habituemos a elas, não há volta a dar, apaixonamo-nos. Quem nunca experimentou deve fazê-lo na minha opinião, o quanto antes!

Anúncios

Novidades – Instant Fix Oil Control da ‏Anthony Logistics for Men

15 Maio

Não é muito comum falar de produtos específicos para homem aqui no blog, mas este é novidade e parece-me útil, por isso aqui está!

Instant Fix Oil Control da ‏Anthony Logistics for Men

Instant Fix Oil Control da ‏Anthony Logistics for Men

É um produto desenhado especificamente para o sexo masculino, para retirar o brilho e a oleosidade da pele, ajudando também a diminuir a aparência dos poros- pode ser usado em qualquer altura, sendo que não dispensa outros cuidados como a limpeza e hidratação. O efeito instantâneo é puramente cosmético, mas a longo prazo, devido aos ingredientes, ajuda a normalizar a pele e a diminuir algumas das imperfeições que derivam do óleo em excesso.

Falando em ingredientes, os principais são a glicerina (já falamos aqui) e a sílica- normalmente ligamos a sílica a uma substância que absorve água, mas há tipos de sílica que conseguem absorver até 7 vezes o seu peso em óleo. Já que estamos a falar em ingredientes, vale mencionar que este produto está livre de parabenos. Já agora, este produto também funciona bem em cabeças calvas, que tendem sempre a ter um certo brilho que pode incomodar algumas pessoas!

O modo de aplicação não é nada de especial, deve-se aplicar uma pequena quantidade (cerca de uma “ervilha” chega para o rosto todo) quando necessário na zona a matificar, em especial a zona T (testa, nariz e queixo). Aplica-se com as mãos, massajando na pele e evitando a zona dos olhos, reaplica-se conforme necessário.

A marca está exclusivamente à venda nas perfumarias Perfumes & Companhia um pouco por todo o país – este produto é um pouco caro, como todos os direccionados exclusivamente para homem, mas são 45€ que rendem muito porque em termos de produto matificante usa-se sempre pouca quantidade.

Mais informação sobre o produto está disponível no site da marca, em Inglês.

Cuidados De Pele – Rosácea

30 Abr

Abril é o mês da rosácea nos Estados Unidos e, embora o mês termine hoje, resolvi falar deste tema. Vou tentar responder às questões mais comuns sobre o tema e, no fim, dar algumas dicas sobre como lidar com este problema caso o tenham. Porém, ainda antes disso, quero dizer que se acharem que têm esta doença é muito importante que consultem o vosso dermatologista antes de tomarem alguma acção. Já agora, sabiam que o Presidente Bill Clinton tem rosácea? E a Princesa Diana também tinha!

O que é a rosácea?

A rosácea é uma doença de pele. É crónica, de origem inflamatória e afecta geralmente apenas a pele do rosto. As pessoas que sofrem desta doença apresentam a pele vermelha e com pequenos vasos (chamados capilares) visíveis. Algum inchaço e até uma espécie de borbulhas são relativamente comuns. Ardor, comichão e sensação de picadas também podem acontecer. Muitas vezes confundem-se os sinais e sintomas com acne, mas não é a mesma coisa. Infelizmente, ainda não se sabe ao certo a causa.

Quem pode ter rosácea?

Toda a gente pode ter, mas é mais comum em alguns grupos específicos: surge muitas vezes em mulheres entre os 30 e os 50 anos que sejam caucasianas e latinas. A doença apresenta-se de modo diferente em homens e em mulheres (sendo que em mulheres a área afectada é mais extensa, mas é menos intensa) e são raros os casos de diagnóstico em pessoas de raça negra: por causa da cor da pele é muito mais difícil de verificar a vermelhidão do rosto e os capilares visíveis que caracterizam esta doença. Predisposição genética (sou seja, se alguém na família tem), doença gastrointestinal, hipertensão entre outros são alguns factores de risco que também se devem ter em conta.

Há alguns factores agravantes?

Sim, há factores que podem agravar a doença. Bebidas quentes ou alcoólicas, stress, ar condicionado e temperaturas extremas são apenas alguns. Quero referir que, na maior parte dos casos, há algum factor em particular que desperta a doença mais do que os outros. Ás vezes é alguma comida em especial, algum detergente, algum perfume… é muito importante cada pessoa conhecer os seus sinais e sintomas e o que os agrava.

Há cura para a rosácea?

Pois é, esta é a pior parte: ainda não se conhece nenhuma cura. Talvez por ainda não se conhecerem as causas nem os mecanismos que desencadeiam esta condição. Talvez no futuro haja uma cura definitiva, mas por agora a única coisa a fazer é tentar controlar o aspecto e tornar o processo menos incómodo.

O que fazer se achar que tenho rosácea?

Primeiro, visitar o médico. Só ele poderá dar o diagnóstico definitivo. Depois, ler e ler muito- informem-se, pesquisem, tentem aprender tudo o possível sobre a doença. Assim, sentem-se melhor, mais informados e quando alguém vos perguntar ou pedir ajuda, vão poder falar com conhecimento de causa. Em terceiro, como eu disse acima, é muito importante que conheçam a vossa pele e que saibam o que a faz sentir melhor e pior.

Dicas para lidar com a doença?

Como não há cura, a solução é mesmo ir lidando com o assunto. O dermatologista poderá aconselhar melhor, mas protector solar todos os dias (até no inverno, até quando está para chover) é essencial. Nem pensar em sair de casa sem ele! A limpeza da pele deve ser feita com produtos suaves. Depois, há cremes apaziguantes, tanto para o dia a dia como para situações de emergência. Eu não sofro de rosácea, mas pesquisei muito e vejo que há muita gente com bons resultados com a linha Redness Solutions da Clinique. A Clinique é uma marca na qual confio e acho que, em geral, sabem o que fazem. A Avéne (à venda em Farmácias) é uma outra marca que também tem produtos para a vermelhidão que funcionam muitíssimo bem. Estes não são só para quem sofre de rosácea, mas para quem tenha problemas de vermelhidão no rosto em geral. Já os experimentei e, tendo pele sensível, dei-me muito bem com os mesmos.

Linha Redness Solutions da Clinique

Linha Redness Solutions da Clinique

Quase todos os cremes para ajudar com a vermelhidão têm um tom verde. A cor verde neutraliza a cor vermelha e cor-de-rosa e é por isso que os cremes, correctores de cor etc. têm essa coloração.

É normal ter alguns complexos por ter o rosto sempre vermelho. Mesmo que não sofre de rosácea consegue entender isso. A melhor maquiagem para cobrir a rosácea é a maquiagem mineral. Base e correctores minerais são a única coisa que recomendo para pessoas com rosácea. Já sabem que eu gosto da BelláPierre (e, claro, que têm 10% de desconto ao comprar nessa marca com o código 0B5YE), mas trata-se mais de encontrar uma marca que gostem e com a qual se sintam bem.

Espero que se sintam mais informados e, como sempre, se tiverem dúvidas ou comentários, deixem-nos aqui que eu vou tentar responder o melhor que puder.

A Base E O Tipo De Pele

12 Mar

Já se devem ter dado conta de que esta semana vai ser uma semana muito especial – vamos dedica-la toda à base. Anunciei isto no Facebook, no Twitter e também podem ver que a caixa de título do site está diferente. Vamos ver o que procurar, como escolher, como experimentar e como aplicar e até vamos falar de mitos. Não pretendo deixar “pontas soltas”, mas se eu me esquecer de mencionar alguma coisa ou se tiverem alguma dúvida, basta comentarem ou procurarem pelo Invicta Maquiagem no Facebook ou no Twitter (adoro!). Posto isto, vamos saber como é que o tipo de pele influencia a escolha da base e como é que ele determina o tipo de base que devemos usar.

O primeiro a fazer é saber o tipo de pele. Se ainda não sabem, vejam este artigo que escrevi recentemente.

A seguir, vamos passar ao segundo passo. Diz o senso comum que vamos querer uma base que se dê bem com o nosso tipo de pele. Assim, tomem nota:

Se têm a pele seca, procurem bases que hidratem. Geralmente, estas bases vêm em líquido e em stick. Se forem em pó, na embalagem deve aparecer algo do género “apropriado para pele seca”, “contém agentes hidratantes” ou outra coisa qualquer com esse significado mas as bases em pó não são algo que eu recomende para a pele seca. Ainda assim, atenção! Nem todas as bases líquidas e em stick são hidratantes! Esse é apenas o ponto de partida. Procurem bases que deixem a pele brilhante e macia e que não tenham um acabamento em pó. Fujam a sete pés de tudo o que disser mate (ou matte).

Se a vossa pele é oleosa, é imperativo que a vossa base seja “oil-free”. É o ponto mais importante de todos. A seguir a isso, a base tem que ser não-comedogénica. O que é que isso quer dizer? Quer dizer que é menos provável que crie borbulhas. Se costumam ter borbulhas, olhem bem para os rótulos das bases e experimentem uma que tenha ácido salicílico (salicylic acid) já que este vai ajudar a secar as áreas problemáticas e também vai reduzir a vermelhidão das borbulhas. Bases líquidas ou cremosas com acabamento em pó e/ou mate são a opção acertada para quem tenha pele oleosa quer tenham ou não acne. Resta dizer que o uso de pó, ainda que a base tenha já este tipo de acabamento vai ser, muito provavelmente, essencial.

Para a pele mista, têm várias opções. Se a pele for mista com tendência a seca, usem base como se tivessem a pele seca. As peles mistas com tendências a seca reagem bem a bases mais leves mas hidratantes e também são a pele ideal para usar base em pó. Se a pele for mista com tendência a oleosa, usem uma base mais ligeira (ou seja, mais líquida, mais “fininha”) e apliquem pó apenas na zona T – testa, nariz e queixo.

Quem tem a pele normal, pode usar o que lhe apetecer contando que não tenha alergia à base que escolheu. É óbvio que ter atenção às alergias é uma dica que vale para qualquer tipo de pele. A quem tem a pele normal, eu costumo recomendar bases hidratantes e ligeiras – se possível, recomendo apenas um hidratante, com cor ou sem, que promova a luminosidade da pele. Quem tem boa pele deve aproveitar isso e mostrar essa qualidade.

O terceiro passo é perceber as nossas necessidades. Olhem bem ao espelho e usem de toda a sinceridade que conseguirem – a vossa pele está em mau estado? Por “mau estado” quero dizer se mais de 40% da pele do vosso rosto tem algum problema. Os problemas a que me refiro são descoloração severa, rosácea, marcas de nascença, acne etc. Se chegarem à conclusão de que sim, então precisam de uma base de alta cobertura. Se não, cobertura ligeira a média, dependendo do gosto. Se as imperfeições forem quase imperceptíveis ou se nunca tiverem usado base e preferirem começar devagar, experimentem um hidratante com cor. A conclusão deste último passo é que base não foi feita para cobrir todas as imperfeições – para isso usa-se o corrector. Como regra geral, quanto mais espessa for a base que escolherem, maior cobertura terá. Assim, uma base muito líquida vai cobrir menos e uma mais cremosa, vai cobrir mais.

Espero que já comecem a perceber o que procurar. Ter em atenção o tipo de pele é importante porque vai garantir o conforto ao longo do dia. Não há nada pior do que passar o dia com a pele a repuxar ou a sentir a pele “melada”. Não me perguntem como é que eu sei.

Em conclusão, a base serve para homogeneizar o tom de pele e para servir de suporte ao resto da maquiagem e devemos escolhê-la de acordo com o tipo de pele.

Outros artigos que podem interessar:

A Cor E O Tom Da Base

Acabamentos Das Bases

 Bases Em Pó E Bases Minerais

Como Experimentar A Base

Como Aplicar A Base

Mitos Sobre A Base

%d bloggers like this: