Tag Archives: causa

Cabelo – Pontas Espigadas

17 Nov

Não há ninguém que não as odeie, pontas espigadas/duplas são o terror autêntico. Vamos saber mais sobre elas?

pontas espigadas, pontas duplas

Quando o cabelo já sofreu uma determinada quantidade de trauma, seja num dado momento seja ao longo de maiores extensões de tempo, começa a ficar com pontas duplas. São um facto da vida e naturais e até quem trate muito bem do cabelo está sujeito porque, afinal de contas, não vivemos numa bolha!

A ponta espigada começa quando o cabelo se abre e expõe o córtex, ou seja, a sua parte interna. Na verdade, isto pode acontecer ao longo do fio, mas é mais comum e mais visível efectivamente nas pontas. Não gosto da designação “ponta dupla” porque, na verdade, pode ser tripla, quádrupla, etc. etc. Há depois uma parte que se destaca do resto, parte e dá aquele aspecto fino, hirto, transparente e desagradável ao toque que reconhecemos como sendo a ponta espigada.

Um pequeno nó ou uma bolinha branca, geralmente no fim do fio, também são considerados pontas espigadas mas na verdade são bocadinhos de córtex exposto, o que também está relacionado com o cabelo danificado e em más condições. Todo o tipo de tratamentos químicos (coloração, descoloração, permanente, alisamento, etc. etc.), todo o calor em excesso (usar protector térmico é de suma importância) e todo o manusear pouco cuidadoso vai prejudicar em muito o cabelo. Juntam-se a estes factores champôs desadequados (demasiado agressivos ou incompatíveis com o nosso cabelo), a falta de condicionador adequado e de qualidade e, pior ainda, a tesoura mal afiada quando se corta o cabelo. As navalhas de cortar cabelo são também do pior que pode haver para causar pontas espigadas.

É verdade que, no cabelo que não é cortado, a ponta espigada pode evoluir e subir e o que era 1cm de ponta estragada rapidamente se torna em 2, 3, 5, 10 centímetros que precisam ser cortados. Cortar o cabelo com frequência mantém-no saudável e bonito, nem que seja só um bocadinho para nos vermos livres das pontas que estão a começar a ficar estragadas antes que o quadro se agrave.

Cada vez que o cabelo se parte, é maior a probabilidade da ponta deixada vir a ficar espigada, porque o partir do cabelo nunca é uma fractura “limpa” e delimitada, é sempre irregular, o que potencia que a ponta abra e nos dê problemas. Por isso é que escovar o cabelo em demasia tende a causar pontas espigadas – não é que a escova “desenrole” o cabelo ou entre pelo meio dos fios, é mesmo porque tende a partir o cabelo e, assim, fragilizar as pontas que já de si são frágeis.

Há no mercado inúmero tratamentos e o que parece resultar mais é a prevenção feita com óleos de cabelo sejam eles com grande percentagem de silicone (que “fecha” a ponta espigada visualmente e enquanto o produto estiver no cabelo este sente-se mais suave) ou óleo mesmo (o famoso óleo de argão é uma boa escolha). Há alguns cabeleireiros que cortam com uma tesoura apropriada aquecida, sendo que se pretende cauterizar o fio para que ele não abra – sinceramente não conheço ninguém que tenha gostado muito de resultado por isso não posso comentar extensivamente.

Contudo, lembrem-se, não há milagres e mais vale prevenir!

Perguntas E Respostas 27: Manchas Brancas Nas Unhas

15 Ago

A Maria João perguntou via Facebook:

Olá Micky! Gosto dos teus posts mais científicos e tenho uma grande dúvida. O que são ou o que causa aquelas manchinhas brancas que temos nas unhas por vezes? Já ouvi dizer que era tanta coisa, de falta de cálcio até relacionar as marcas com as mentiras que se contou. Isto de certeza que não pode ser verdade… Se calhar outras pessoas também têm essa dúvida, talvez desse para um post. Obrigada.

Perguntas e Respostas

Olá Maria João! Sim, dá mesmo para um post e se há alguém que adora quebrar um mito, essa pessoa sou eu – e não, não tem a ver com a mentira que se contou à mãe nem nenhuma dessas superstições. A verdade é que há várias causas porque nem todas as manchinhas são iguais. Vamos então por partes, analisando a mancha:

  1. Série de pequenos pontos juntos que fazem uma linha – Se a mancha parece mais uma linha pontilhada, feita de vários pontinhos brancos seguidos, a causa é um trauma à matriz da unha (que é tipo a “raiz” da unha de onde esta cresce). Há pessoas mais ou menos sujeitas a este problema na medida em que há pessoas mais ou menos resistentes. Um trauma não precisa de ser nada grave, até um encontrão ou uma gaveta em que se entalou os dedos sem grande força já pode causar efeitos. Demora muito tempo a aparecer uma marca e se a maioria das pessoas já nem sabe o que comeu ontem ao almoço, também não se vai lembrar daqui a 3 semanas que bateu com a mão aqui ou ali. Não é preciso ficar pisado ou deitar sangue ou ficar dorido para que a marca apareça daí a algumas semanas, um esbarrar mais de força em qualquer coisa é o suficiente para algumas pessoas enquanto que não o é para outras pessoas. É, sem sombra de dúvida, a causa mais comum.
  2. Manchas ou pontos que aparecem no meio da unha – Se notarmos que uma mancha ou ponto já não vem desde a zona da pele e vai progressivamente subindo, pode dever-se a uma alergia. A alergia mais comum nas unhas será a vernizes, endurecedores e produtos do género porque ficam em contacto exclusivo com a unha durante, por vezes, uma semana ou mais.
  3. Linhas mais ou menos finas verticais sem relevodeficiência em zinco. Geralmente, salvo algum grave problema de saúde, ostras, iogurte, bife, espinafres e nozes vão ajudar a aumentar o consumo de zinco.
  4. Linhas horizontais sem relevo – quando uma linha é horizontal e parece sair a um ritmo menor do que aquele ao que a unha cresce, trata-se de uma deficiência de proteína. É, nos países desenvolvidos, comum nos vegetarianos que não se informam bem e não tentam compensar a falta da proteína animal por proteína de origem vegetal. Em países sub-desenvolvidos e em vias de desenvolvimento é, infelizmente, mais comum. Estas linhas estão por baixo da unha em si e uma boa maneira de ver isso é que se pressionarmos a unha uns momentos a linha desaparece uns segundos – chamam-se linhas de Muehrcke. Assim que a proteína ingerida passe a ser suficiente para a necessidade da pessoa em causa, a linha desaparece progressivamente. A fonte de proteína mais óbvia é a carne e peixes (de preferência peixes gordos tipo sardinha, salmão, etc.), mas há pessoas que não podem ou não querem comer carne, de modo que podem encontrar proteína no tofu, feijões, iogurte e queijo, leite de soja (até há uns com proteína extra), nozes e algumas sementes.
  5. Mancha localizada que parece esfarelar – isso tem a ver com falta de cálcio. é uma mancha redonda ou ovalada que parece tornar-se pó. Claro que a solução é ingerir mais cálcio, seja com leites e/ou derivados, folhas escuras (couve escura, espinafres, grelos) ou suplementos.
  6. Mancha difusa – é uma infecção por fungos. É uma espécie de micose e pode espalhar-se às outras unhas. A mancha não tem bordos muito definidos e vai-se espalhando. Deve ser tratada com a ajuda de um médico ou farmacêutico que vai escolher o tratamento mais adequado. Se não for tratada, pode muito bem prejudicar a unha de tal modo que se torne muito doloroso, por exemplo, usar sapatos (se for nos pés, claro) ou manusear objectos do dia-a-dia (se for nas mãos).

Se as manchas forem recorrentes, ou seja, se estiverem sempre a aparecer em várias unhas, convém ir ao médico porque há algumas doenças cuja primeira manifestação externa é precisamente um número anormal de marcas brancas nas unhas. O mesmo se as unhas mudam de repente de cor na sua totalidade (se ficam brancas por todo ou se ficam muito amarelas).

Cuidados De Pele – Estrias

6 Ago

Era um tema sobre o qual eu não me tinha alargado aqui no site, e já é hora de o fazer. As estrias podem aparecer a qualquer pessoa, mas são mais comuns em mulheres.

Estrias corpo o que são

Estrias

As estrias podem aparecer em muitos lugares do corpo, mas são mais comuns em locais mais sujeitos a mudanças bruscas aquando do crescimento e ganho de peso. Acontecem porque a derme, uma das camadas de pele, não consegue ser suficientemente elástica para acompanhar as mudanças do corpo. Assim, há pequenos rasgões nas fibras da derme e sangramento microscópico, bem como alguma inflamação. É por isso que as estrias recentes são vermelhas ou arroxeadas e com alguma elevação ou relevo.

Quando a derme estica, a epiderme, a camada mais superficial da pele, também estica, mas como é mais elástica, não “rasga”. Porém, fica muito mais fina, sendo esta a razão pela qual podemos efectivamente ver a marca da estria e não só senti-la.  Quando tudo isto começa a sarar, começamos a ter a estria mais esbranquiçada, que é uma cicatriz. Porque a pele foi agredida, a formação de colagénio modifica, o que também acaba por interferir com a produção de melanina que é o que nos dá a cor à pele.

A melhor maneira de lidar com estrias é evitá-las. Quando se faz uma dieta, quando se engravida, quando se sente que se está a ganhar ou a perder peso, é muito importante a hidratação da pele. Os óleos ajudam a uma elasticidade maior, e assim são a melhor escolha, seguidos de cremes untuosos.

Quando já é tarde demais para prevenir, a solução passa por tratamentos mais drásticos como a cirurgia (em casos muito específicos) ou o laser ou, então, por coisas tão simples como a maquiagem e os auto bronzeadores aplicados com precisão para disfarçar a coloração. Recentemente tem estado em estudo o uso de preenchimento e outros tipo de injecção para lidar com as estrias, mas são processos morosos e incrivelmente dispendiosos e desconfortáveis.

Corpo – Celulite

23 Abr

Hoje o artigo resolveu dar uma voltinha e foi parar ao blog da Vera, o Avec Veritas. O artigo é sobre algo que afecta 80 a 90% das mulheres: a celulite.

Celulite - o que é, quais são as causas

Como resumo, no artigo podemos ficar a saber que a celulite não tem só a ver com gordura corporal, que se deve a fibras por baixo da pele e que há uma razão perfeitamente lógica para que os homens não sofram, no geral, de celulite.

Aqui fica o link, espero que gostem!!!

Cuidados De Pele – Comedões, Pontos Negros, Pontos Brancos

8 Out

Toda a gente já ouviu falar em pontos negros e maneiras mais ou menos milagrosos de nos livrar-mos deles. Então e os outros termos? O que são?

Para quem tem pele oleosa ou sofre de acne, “comedões” são o dia-a-dia. Um comedão é um bloqueio do poro: este bloqueio é, regra geral, causado por um acumulo de óleo. Assim, a pele apresenta altinhos inestéticos que podem ser brancos ou escuros. É assim que teremos um ponto negro ou um ponto branco. Concluindo, pontos negros e pontos brancos são comedões.

Quando o comedão está fechado e não entra ar, a matéria que está lá dentro não oxida e, então, permanece branca. Por outro lado, quando o comedão está  aberto, os resíduos oxidam e ficam pretos – os famosos pontos negros.

A esfoliação é a maneira mais efectiva de nos vermos livres dos comedões. Cuidados de pele diários, com a limpeza adequada e tonificação apropriada fazem verdadeiros milagres no que toca a pontos negros e brancos! Há também bandas específicas que se colam à pele para remover pontos negros e que, para a zona T (queixo, nariz e testa), funcionam muito bem, contado que se sigam as instruções à letra. Os instrumentos de metal que tantas vezes vemos para remover comedões podem deixar marcas e cicatrizes, de modo que não os aconselho!

%d bloggers like this: