Cabelo – 5 Alimentos Para Um Cabelo Lindo

10 Nov

Enquanto que para a pele, mudanças (para melhor ou pior) na alimentação se podem ver em questão de uma, duas semanas, quando se fala de cabelo, dois ou três meses podem não ser suficientes para ver os resultados por completo. Assim, é preciso insistir muito e, sobretudo, ter fé! Vamos ver os 7 melhores alimentos para um cabelo bonito, saudável e brilhante!

7 alimentos cabelo bonito lista

  1. Salmão – sendo que o selvagem é ainda melhor. Tem vitamina D e ómega 3, gordura essencial ao bom funcionamento do organismo como um todo. 3% do folículo do cabelo tem estes ómega 3! Sem eles, não há cabelo saudável de maneira nenhuma. Sardinhas, arenque, truta e abacates têm os mesmos benefícios;
  2. Nozes – além de terem os benefícios que o salmão tem por causa dos ómega 3, têm biotina. A falta de biotina no organismo leva a queda de cabelo acentuada e não é isso que queremos, certo? Têm ainda um bocadinho de cobre, que mantém o cabelo lustroso;
  3. Ovos – proteína e, mais importante até para o cabelo, zinco, selénio, enxofre e ferro. O ferro é especialmente importante porque promove um bom aporte de sangue bem oxigenado à raiz do cabelo, fazendo com que este receba tudo aquilo que quer e necessita para o melhor desenvolvimento possível;
  4. Espinafres – têm ferro como acabámos de falar mas têm também vitamina C. A falta da vitamina C leva a que o cabelo seja muito quebradiço e não adianta muito que nasça e cresça se é para se quebrar logo! Encontramos vitamina C também em kiwis, citrinos (como laranja e tangerina) e frutos vermelhos.
  5. Iogurte Grego – versões light podem ser a opção para quem não gosta por sentir demasiada gordura nestes iogurtes extra-cremosos. Já sabemos que tem proteína, estrutural para o cabelo, mas tem também vitamina B-15 (que costuma ser muito adicionada a produtos para condicionar o cabelo, talvez a denominação “ácido pantoteico” faça lembrar uma certa marca e um certo ingrediente). Sei que para quem não consome lactose pode ser uma má notícia, mas nesse caso, há já produtos sem lactose com vitaminas adicionadas.
Anúncios

Inspiração

9 Nov

inspiration makeup

Hoje deu-me vontade de apelar ao lado sexy da maquiagem, não dá para negar que há alturas em que é preciso acrescentar um bocadinho de glamour e sensualidade ao nosso dia-a-dia (ou ao evento especial) e que a maquiagem tem ou pode ter um grande papel na situação.

A versão que hoje sugiro é glamourosa mas fácil de fazer, prometo! A pele é aperfeiçoada e tem um toque bronzeado dourado, ou seja, é a altura de ir buscar aquele bronzer com brilho dourado e aplicar nos pontos mais altos do rosto (linha do cabelo na testa, cana do nariz e nos ossos das maçãs do rosto.

Os olhos, por estranho que pareça, têm apenas uma sombra dourada com brilho, um risco de eyeliner bem marcado e bem grosso, lápis dourado na linha d’água, pestanas postiças densas mas de comprimento médio e, por fim, bastante máscara nas pestanas inferiores. Para adaptar isto à “mulher comum”, eu usaria menos máscara nas pestanas inferiores, só mesmo um pequeno toque para as definir mas não tanto que fique com um aspecto de “perninhas de aranha” (as famosas!).

Os lábios têm um magenta não muito aberto, é uma cor forte mas não é demasiado vibrante no sentido de ser clara. É um rosa forte com uma base quente, para quem queira ir procurar um na loja. O gloss por cima tem glitter, tem bastante purpurina e se for de boa qualidade (ou seja, que a purpurina não seja nem grande demais nem em quantidade excessiva) vai dar uma ar elegante em vez de um ar demasiado pré-adolescente.

Um pouco de rosado nas faces termina a maquiagem e, se ainda não for brilho suficiente, adianto já que a modelo tem iluminador (reflector, sem brilhos em si mas com qualidades reflectoras). Não recomendo para a “vida real” a não ser que a base seja mesmo muito mate.

Maquiagem – Base Oil-Free

8 Nov

Parece simples, uma pele com excesso de óleo deve evitar os óleos nos produtos cosméticos logo deve usar produtos oil-free. Mas será assim tão linear?

base oil-free sem óleo

Os produtos oil-free em geral são adequados a quem tem a pele oleosa ou tendência para desenvolver acne e/ou outras reacções a produtos ricos em óleo. Há óleos adequados a quem tem a pele oleosa, mas estes costumam ser incorporados em tratamentos localizados e específicos (por exemplo óleo da árvore do chá para tratamento localizado de borbulhas) ou, então enquanto parte da limpeza da pele.

O que significa oil-free? Depende (infelizmente), de modo que é importante ler rótulos. Alguns produtos “oil-free” são livres apenas de óleo mineral, outros são só livres de óleos naturais (sendo que podem ter óleos sintéticos) e outros, raros, são completamente livres de óleos. Os produtos oil-free não terão nada com a palavra “óleo” e terão, na maior parte das vezes, ingredientes como propileno glicol, glicerina, e silicones no princípio da lista de ingredientes (entre o lugar 1 e o 5 na lista).

Os produtos oil-free substituem os óleos por substâncias que se comportam como óleos quando aplicados na pele com todos os seus benefícios inclusive o de protecção e de dar elasticidade à pele. Assim, estes “óleos subsitutos” servem de veículo apropriado ao principio activo do produto (ou seja, como uma base para a construção do produto boa e eficaz), mas que como não se misturam com os “verdadeiros” óleos, não são considerados óleos em si. Faz sentido? Fazem tudo o que os óleos fazem menos misturar-se com outros óleos, logo, não são exactamente óleos!

Como nota final nesta parte do artigo, digo apenas que para uma pele com tendência para o acne é muito mais importante um produto não comedogénico do que oil-free já que há óleos não comedogénicos que até vão fazer bem.

Vamos agora às recomendações de bases oil-free, que são três. Para cobertura leve a moderada, a Face & Body da Makeup Forever; para cobertura moderada a alta recomendo uma boa base mineral sem bismuto (a da Bare Minerals tem boa reputação bem como a da The Body Shop e da Bellápierre apesar da marca estar a trabalhar um bocadinho mal em Portugal no momento [Novembro de 2013]) e para cobertura alta, a Dermablend (base) da Vichy.

Cuidar Das Pestanas (Cílios)

7 Nov

Quem não gosta de umas pestanas/cílios lindas e bem cuidadas? Há aquelas pessoas abençoadas que não precisam de fazer nada às suas pestanas para que elas fiquem sempre perfeitas, mas o comum dos mortais deve ter especial atenção a algo que embeleza o nosso olhar sempre.

Pestanas longas e bem cuidadas

Pestanas longas e bem cuidadas

As pestanas existem para proteger os nossos olhos e, sem sombra de dúvida, umas pestanas longas, fortes, bem cuidadas e escuras abrem o olhar e dão-lhe muito mais expressão. Assim, é natural que quando as nossas pestanas já viram dias melhores, tentemos fazer algo. Com a idade é normal que as pestanas fiquem em número mais reduzido e, também, que comecem a perder a cor. Em pessoas de pele e cabelo claro isto acontece mais rápido, bem como em pessoas de origem Asiática. É a progressão normal das coisas mas há certamente alguns cuidados que quem quer cuidar melhor das suas pestanas pode ter.

O mais primordial, o básico dos básicos, é retirar bem a máscara antes de deitar. Um cotonete impregnado de desmaquilhante de olhos ou água micelar retira a máscara de maneira eficaz. Se a máscara for à prova de água, recomendo um desmaquilhante bifásico, daqueles que tem duas cores, mas efectivamente máscara à prova de água é de evitar tanto quanto possível em pestanas que não se encontrem em condições ideais já que é mais agressiva que as outras. Ah, e ao secar os olhos depois de lavar o rosto, nada de esfregar com a toalha! Batidinhas leves são o a solução.

Escusado será dizer que puxar, esfregar e outras agressões também não são boas, de modo que aplicar máscara e retirá-la com movimentos suaves e ter o cuidado de evitar tocar nos olhos durante o dia – acontece imenso mesmo que não tenhamos consciência de que o estamos a fazer. A raiz das pestanas é delicada, por isso, mimá-la é uma boa escolha. Falando em raízes e puxões, quando se fala em recurvadores de pestanas (curvex), apertar com muita força, apertar durante muito tempo, puxar ou, então, usar o recurvador tradicional depois da máscara aplicada está proibidíssimo! Pode até parecer contra-intuitivo, mas nisto os recurvadores a quente são muito mais gentis! Não são quentes de modo a queimar, aliás, até são usados em pestanas de plástico (se fossem quentes, derretiam as mesmas), por isso, sem medos.

Voltando à máscara, esta deve durar 3 a 4 meses, não mais. Se houver uma infecção, conjuntivite, ou outro problema do género, a máscara que se estava a usar deve ir para o lixo (idealmente as sombras também). Só se deve tornar a usar maquiagem de olhos quando tudo voltar ao normal e já tivermos a certeza que a infecção passou há uns bons dias.

Quando se usar pestanas postiças, que são óptimas para um evento especial por exemplo, é de evitar a cola à prova de água. Não que seja prejudicial em si, mas como é mais difícil de retirar, vai ser mais provável danificar as pestanas no processo. Uma cola boa e que não faça alergia deve ser usada e para se retirar, um algodão embebido em água morna ou desmaquilhante deve ser pressionado nas pálpebras por 30 segundos a 1 minuto antes de se deslizar o algodão, levando com ele maquiagem e pestanas postiças.

Há produtos no mercado que prometem condicionar as pestanas, e ter pestanas que não são quebradiças é muito positivo. Isto porque uma pestana tem um ciclo de 3 meses: demora 2 meses a crescer até o seu tamanho máximo, fica um mês quietinha no seu sítio de depois cai para dar lugar a outra – isto em situações normais, claro. Quem tem pestanas quebradiças, além de as limpar, pode optar por este tipo de produtos. Há quem use vaselina mas eu não me sinto lá muito confortável ao aplicar vaselina directamente tão perto dos olhos. Recentemente vi recomendado o Aquaphor da Eucerin para condicionar pestanas e até testei, mas felizmente não sou a pessoa mais indicada para dizer se resulta ou não porque (graças a Deus) nunca tive pestanas quebradiças. É algo a experimentar, caso possam!

Para mais artigos sobre este tema em particular, recomendo:

Maquiagem – Pestanas Recurvadas

Perguntas E Respostas 12: Máscara Engrumada

Maquiagem – 5 Dicas Para Pestanas Mais Destacadas

Novidades – Novos Pincéis Masterclass da MAC

6 Nov

A novidade do dia é a confirmação oficial da Naked 3 da Urban Decay, mas façamos de conta que ela não vai existir (está difícil) e foquemo-nos nos pincéis inovadores que nos traz a (quase) sempre adorada MAC.

MAC Masterclass Brush Collection

MAC Masterclass Brush Collection

Pois é, são assim um bocado para o esquisito e está bom de ver que o primeiro comentário do Mundo em geral é que parecem escovas de dentes. Mas não são! São pincéis aparentemente melhor adaptados à auto-maquiagem, ou seja, a cada pessoa a maquiar-se a si mesma. São desenhados para ser ergonómicos, ou seja, fáceis de segurar e de usar de maneira confortável, são de cerdas sintéticas para serem fáceis de cuidar, macios e, sobretudo, poderem ser usados com cremes ou pós. Há três pincéis diferentes, o Linear 1 (fino, para desenhar riscos precisos), Oval 3 e Oval 6 (ambos muito semelhantes, sendo o 6 de maior dimensão) e todos têm também uma cabo com borracha para não escorregarem. Enfim, quem nunca na vida conseguiu perceber como se segura num pincel correctamente, quem se sente 100% inapto a usar pincéis mesmo depois de tentar muito e com muita boa vontade, talvez tenha encontrado a solução para os seus problemas.

MAC Masterclass Brush Collection - Frente

MAC Masterclass Brush Collection – Frente

O Linear 1 tem as cerdas curtas e firmes, precisamente para poder fazer linhas definidas sem borrar. Pode ser usado com líquidos, cremes ou pós, serve para delinear olhos, preencher sobrancelhas (até mesmo “desenhando” os pelinhos e também como pincel de lábios delineando e aplicando batom numa ferramenta só). Na minha opinião de quem ainda não experimentou mas já está a imaginar a utilidade deste pincel, a teoria é que, de todos, é o pincel que terá mais uso. Isto porque seria interessante usar com a técnica “carimbo” usando sombra em vez de outro tipo de eyeliner e já que a mão não fica exactamente em frente ao espelho, vemos melhor o que estamos a fazer. A tal técnica tem um nome bastante descritivo e consiste em pegar no pincel, colocar lá sombra e literalmente transferir a linha pressionando onde desejamos sem arrastar e sem aquele eterno problema de tremer a mão ou fazer o risco mais fino num olho do que no outro. Fica prometido um foto tutorial sobre o assunto, assim que eu arranjar uma vítima, digo, modelo voluntária.

O Oval 3 tem uma forma oval (inesperado, não?) alongada com uma ponta mais definida para dar alguma precisão. Sombras em creme ou pó, corrector em creme ou líquido, iluminador sob qualquer forma entre outros produtos são aplicados e esbatidos logo num passo só. É pequeno o suficiente para aplicar sombras, ou seja, também será possível usar para aqueles recantos mais estreitos da face como em torno das abas do nariz, por exemplo. O Oval 6 é maiorzinho apesar de ter um formato em tudo semelhante à parte de não ter uma ponta mais alongada. É tão maior que serve para aplicar base, pó, blush e contorno, mais uma vez, aplicando e esbatendo logo de uma vez só. Para mim será o que menos utilidade terá com a premissa de que servem para aplicar os produtos sem atrapalhações – atrapalhações essas que serão já de si menor porque o pincel é maior!

A MAC fez esta colecção a apostar no consumidor final, na mulher comum que quer rapidez e facilidade no seu dia-a-dia mas não se pode negar que também quis apelar à estética futurista, na novidade, na surpresa. É esperar para ver! Não vão substituir os pincéis tradicionais, mas serão uma adição válida a qualquer colecção de pincéis. Pincéis angulares já existiam, em especial para eyeliner (tipo assim), mas pronto, haja inovações!!!

Cuidados De Pele – Camada Hidrolipídica

5 Nov

Para uma pele estar saudável, bonita e em boas condições, a camada hidrolipídica deve estar bem equilibrada. É a verdade universal da pele, se é que há uma. Mas afinal, o que é essa tal camada?

camada manto filme hidrolipídico

As denominações “camada”, “filme”, “manto” entre outras são muito comuns para designar exactamente a mesma coisa. É uma barreira externa ligeiramente ácida (pH 5.5) que temos e que a nossa pele produz para se proteger a si mesma. A pele protege o nosso interior e como ninguém a protege a ela, ela tem que fabricar o seu próprio “escudo”. Serve para nos proteger dos elementos e, mais, das bactérias más e dos fungos que há à nossa volta e que podem entrar em contacto com a nossa pele no dia-a-dia.

Numa pele saudável, o equilíbrio está presente entre o sebo (gordura/oleosidade) produzido pelas nossas glândulas sebáceas e a água (que vem essencialmente das camadas mais profundas da pele). Numa pele oleosa, há mais óleo; numa pele seca, há falta de óleo; numa pele desidratada há falta de água. É bastante simples na verdade, porém a proporção “correcta”, ideal, de óleo para água muda conforme a zona do corpo e é afectada pelo stress, nutrição, estação do ano, idade, hormonas…

Perturbar este filme pode ser bom ou mau! Se o perturbamos de modo a que deixe de funcionar efectivamente, o resultado é mau. Fazemos isso quando usamos detergentes fortes para limpar a pele retirando óleo em demasia, produtos com pH muito desadequado (particularmente o alcalino, como é, novamente, o caso de produtos de limpeza demasiado fortes), quando deixamos a pele desidratar (por não bebermos água suficiente e/ou não usarmos cremes adequados às nossas necessidades), quando nos expomos a condições ambientais extremas (muito frio, muito calor e sol)…  Quando a camada hidrolipídica é eliminada ou quase, acne, infecções fúngicas, eczema entre outras coisas podem surgir e todas as doenças latentes podem dar sinais de si como por exemplo a psoríase.

Então como podemos perturbar este equilíbrio de maneira boa? Como fazemos para que ele não seja tão delicado e resista bem às agressões do dia-a-dia? Damos-lhe bastante hidratação e usamos produtos adequados às nossas necessidades. Se temos uma pele oleosa e lhe damos óleo, pior fica; se temos uma pele desidratada e lhe damos óleo, nunca chegará o conforto porque não é isso que falta.

É sempre preciso conhecer e atentar no tipo de pele e usar produtos adequados, estarmos bem informados e aconselhados e, acima de tudo, pesquisar, pesquisar e pesquisar. Fazer perguntas, procurar informação e nunca comprar nada de cuidados de pele e de base só porque a emabalagem é lindinha ou porque toda a gente usa e fala bem sem se saber se é ou não próprio para nós.

Cuidados De Pele – Sinais De Idade

4 Nov

Pois é, muitas vezes a idade de uma pessoa adivinha-se mais depressa pela área do peito e do pescoço bem como pelas mãos do que propriamente pelo rosto. Mas então, se estamos tão preocupados em não deixar que o rosto deixe com que quem nos adivinha a idade nos acrescenta anos, o que podemos fazer quanto ao resto?

sinais de idade outros prevenir

O peito e as mãos revelam mais sinais de idade porque a pele é, de si, diferente na medida em que tem menos glândulas que produzam óleo (que protege a pele e mantém elástica) e porque a textura é diferente. Além disso, é a verdade é que não temos os cuidados com as mãos e o peito que temos com o rosto a nível de tratamento e, em especial de protecção solar! As mãos, em particular, sofrem muito “abuso” ao longo da vida, entre lavagens frequentes com produtos muito fortes e a exposição aos elementos e à poluição, já muito resiste a pele das mãos. O ideal será prevenir e mais do que reparar danos, importa prevenir mais e mais sinais de idade. O pescoço tem a grande vantagem de estar perto da face e até certo ponto coberto e protegido pela sombra da face – assim, qualquer tratamento que se aplique a todo o resto deve ser “estendido” para o pescoço na mesma quantidade proporcional

Os sinais de idade que mais vemos são as manchas (castanhas ou arroxeadas) e flacidez, além do aspecto mais macilento e “sem vida” da pele. As manchas castanhas são causadas primariamente pela exposição solar, são pigmentação normal devido à má protecção. Para isto, há tratamentos despigmentantes tanto de venda livre como prescritos por médicos e há, também, séruns com vitamina C para uso durante a noite. A vitamina C é um anti-oxidante e um bom sérum de vitamina C virá em doses únicas (uma espécie de cápsula para cada uso) ou, na pior das hipóteses, num frasco escuro.

As manchas arroxeadas ou rosadas serão pequeninos derrames, vasos capilares que se romperam. Não é grave a nível da saúde se não forem uma grande extensão, mas são inestéticos. Para isto, só mesmo o dermatologista munido de tratamentos lazer vai poder ajudar. Estas manchas são comuns no peito, em torno do nariz e nas faces, é raro vê-las nas mãos, mas não é, de todo, impossível.

Quanto à textura, à flacidez e ao toque estilo papel crepe/crepom, parecendo que a pele é grossa estilo borracha, seca e enrugada, sem luminosidade e/ou que tem uma espécie de areia fina que escama. Um esfoliante é a melhor escolha, seja ele químico (com ácido glicólico ou salicílico) ou mecânico ou, para casos mais gritantes, um peeling químico feito pelo dermatologista. A microdermabrasão pode ser uma escolha também dependendo da condição da pele, sendo que o aconselhamento deve ser feito caso-a-caso por um bom dermatologista ou uma esteticista qualificada.

Conclusão: é possível prevenir e reparar danos e não deixar que a pele do pescoço, peito e mãos revele a verdadeira idade da pessoa.

Cabelo – Permanentes De Cabelo

3 Nov

Amadas e odiadas, foram moda, foram fora de moda, foram o sonho de quem viveu nos anos 80, o pesadelo de quem viveu nos anos 90 e a má permanente foi sempre muito temida. Apesar da má reputação, estão muito diferentes do que eram antigamente e, se bem feitas, já não “fritam” o cabelo nem ficam com aspecto de pêlo Caniche/Poodle.

permanente cabelo larga

O propósito de fazer uma permanente é cachear os cabelos, seja em cachos definidos, apenas em ondas ou apenas na raiz para dar volume (o conhecido levantamento de raiz em que se coloca o “caracol” somente na raiz ou, então, de modo a dar apenas ondas muito leves).

Antes de fazer uma permanente é necessário saber se o cabelo está saudável e hidrata-lo bem, Convém não fazer uma hidratação profunda na lavagem anterior ao dia de fazer a permanente porque se o cabelo tiver resíduos do condicionador, os resultados serão afectados, ou seja, deve-se fazer uma hidratação profunda num dia, lavar o cabelo daí a dois dias sem grandes condicionadores e só depois ir ao cabeleireiro. Uma permanente demora cerca de 1 a 2 horas a fazer, não só pelo tempo de pose que o químico que “quebra” a estrutura do cabelo e o molda ao rolo, mas também toda a preparação que envolve. O cabelo é enrolado sendo as pontas protegidas, a solução (tioglicolato de amónia para quem for mais quimicamente curioso) é aplicada e depois é aplicada outra, o neutralizador, para fazer com que esta solução pare de funcionar. O quão “apertado” vai ser o cacheado depende do tamanho do rolo e, também, de quanto tempo a solução de permanente fica em contacto com o cabelo. O cabelo demora depois 28 horas a adquirir a estrutura que terá durante os próximos 2 a 6 meses se tudo correr bem. Não se deve levar o cabelo, idealmente, nos 3 dias seguintes e, se possível de todo, não o usar preso.

Há cabelos que não aceitam o processo, pura e simplesmente a permanente não “pega”. Cabelo muito liso (estilo asiático) ou muito hirto é mais difícil de encaracolar permanentemente, um cabelo grosso porém maleável aceitará melhor uma permanente e terá melhores resultados. E, há cabelos, que não se entende porquê, não querem a permanente, não a aceitam – vai da própria química da pessoa em causa, do estado do cabelo e, não posso negar, do profissional que está a fazer a permanente. Hoje em dia já não é uma prática comum, se quando eu era criança o cheiro a líquido de permanente era uma constante no cabeleireiro e as cabeleireiras faziam dezenas de permanentes por semana, hoje é raríssimo e quer se queira, quer não, um profissional com mais prática terá melhores resultados.

A permanente de hoje em dia é muito menos agressiva que aquela que as nossas mães e avós faziam, porém, continuam a ser bastante más para o cabelo causando bastante dano. O cabelo deve ser tratado com produtos próprios para cabelo com permanente e/ou encaracolado, a escovagem do cabelo seco está proibidíssima! Esticar, fazer chapinha e secar com secador dando uma textura mais lisa ao cabelo vai também relaxar o mesmo e, ao fim de algumas vezes, o encaracolado conseguido com a permanente estará distorcido. Espuma de volume aplicada nas raízes vai ser a melhor amiga quando o cabelo começar a crescer e a ficar liso na raiz e com movimento nas pontas, falo por experiência própria! Um bom condicionador para recuperar o cabelo da permanente e um leave-in específico para ajudar a formar os caracóis (gosto do da Fructis) serão os outros aliados de todos os dias – achar que fazer a permanente significa que se pode simplesmente “lavar e andar” pode não ser verdade, especialmente em cabelos que não são o ideal para a permanente como já discutimos.

A pergunta que toda a gente faz é como evitar o frizz. Evita-se o frizado indo a uma boa profissional e, acima de tudo, tendo o cabelo no melhor estado possível. O cabelo deve estar saudável, hidratado e não deve ser muito fino. O cabelo muito frágil ou que já está processado quimicamente (coloração, madeixas, “luzes”) está mais propenso a ficar com demasiados danos neste processo. O mesmo acontece quando o cabelo é muito seco ou, então, é muito escalado em camadas curtas!

Um dos benefícios da permanente é dar volume e deixar o cabelo menos oleoso, pelo menos temporariamente. Isto é especialmente válido nos levantamentos de raiz sobre os quais me perguntaram via comentário aqui no site.

Ah, e um último conselho, aliás válido em todas as idas ao cabeleireiro – levem fotos do que querem! O que para mim é uma permanente muito apertadinha pode ser o normalíssimo do dia-a-dia da cabeleireira! Assim, como imagem, não há espaço para (más) interpretações de ideias.

Espero que se sintam agora mais informados sobre este procedimento!

Inspiração

2 Nov

80's, maquiagem, maquilhagem

A imagem é um pouco pequena, mas gostei tanto que tive mesmo que partilhar aqui na rubrica Inspiração! A inspiração de hoje passa pelos meus queridos, adorados, amados anos 80! Eu acredito que toda a gente tem aquela década do século 80 em que, pelo que se usava, ficaria completamente enquadrada. Os 80’s são lindos, adoro tudo, desde a música ao visual e até fico engraçada com a maquiagem que se usava na época, mas infelizmente não é para para mim nem para tirar inspiração para o dia-a-dia (sou pouco colorida, preferindo os neutros). Claro que anos 20 e princípios de anos 60 preenchem o restante do meu coraçãozinho de fanática por História e adoradora de maquiagem tudo-ao-mesmo-tempo. Bem, adiante, já estou a esticar-me.

A imagem acima apresenta uma maquiagem inspirada nos anos 80, a pele mate mas com luz (conseguido aqui com edição de fotografia mas na vida real com o uso de tons mais claros e do jogo claro/escuro), uns olhos em tons bem metalizados e de cinza como é grande moda este ano conjuntamente com  algum preto para definir o olhar. Os lábios são vermelhos e brilhantes mas é porque a pele escura também aguenta bem esta intensidade e diversidade de cores.

O que eu acho que podemos tirar desta inspiração de hoje é mesmo olhar para o passado e tentarmos imaginar como seríamos se tivéssemos nascido bem antes e tentarmos trazer pequenos toques dessa década para o nosso dia-a-dia. Eu sei que o que mais me favorece é a maquiagem estilo anos 60 e aposto muitas vezes no eyeliner com montes de máscara nas pestanas e também no batom mais pálido. E vocês? Qual a década que vos inspira?

Maquiagem – 10 Dicas Para Um Eyeliner Líquido Perfeito

1 Nov

Começámos a semana com um post do túnel do tempo, e vamos acabar com um! É uma questão que ainda me colocam imenso, sempre que me vêm a usar ou que eu faço a alguém um risco de eyeliner bem definido. A dica maior que posso dar é praticar, nada nasce pronto, ninguém nasce ensinado. Posto isto, há mais algumas dicas no post aqui anexado.

O eyeliner líquido nunca sai de moda e, hoje, com a diversidade de cores e acabamentos, embalagens e tudo, e tudo, duvido muito que se vá deixar de usar em breve. É algo simples, que quando sabemos fazer devidamente, impressiona mas ao mesmo tempo não é tão chamativo que deixe de ser elegante. É uma boa aposta, pode ser levado do dia para a noite com a maior das facilidades e, depois de algum tempo, sai perfeito 9 em cada 10 vezes. E, é claro, se tudo correr mal, é só esbater e dizer que a ideia era mesmo essa afinal!

Invicta Maquiagem

O eyeliner é um produto de culto e há milhares de mulheres que não incapazes de colocar os pés para fora da porta de casa em ele. Por uma questão de tradição e até algum sex-appeal, o eyeliner líquido é e será um objecto de desejo. Contudo, para mal dos nossos pecados, é talvez a forma de eyeliner mais difícil de aplicar e a que mais dores de cabeça e invejas provoca. Tenho 10 dicas para vos dar!

1.Pratiquem! É a dica mais óbvia, mas garanto-vos que certa noite me sentei à mesa da sala de estar munida de um espelho, eyeliners líquidos e um frasco de desmaquilhante com os respectivos discos de algodão. Só com a prática é que vão conseguir aquela linha perfeita, seja ela como for.

2. Experimentem diferentes métodos de aplicação. O eyeliner líquido vem em diferentes formas e com diferentes aplicadores. Eu acho que o…

View original post mais 468 palavras

%d bloggers like this: