História da Maquiagem – Parte 1- Egipto, Grécia, Roma e Israel

1 Abr

A maquiagem não é uma coisa dos dias de hoje. Os primeiros vestígios de maquiagem datam de cerca de 3100 A.C., ou seja, mais de 5000 anos. Estes vestígios foram encontrados no Egipto.

Busto de Nefretiti, com uma especie de eye liner.

Busto de Nefretiti, com uma especie de eye liner.

No Egipto Antigo, a maquiagem era usada igualmente por homens e por mulheres. Até à Grécia Clássica ganhar força e os seus modos de pensar e agir se terem espalhado para o Egipto, neste País os homens e as mulheres eram considerados iguais em absolutamente tudo. Os Egípcios preocupavam-se muito com a beleza, mas tudo o que usavam também estava envolto em mistério e crenças. Acreditavam que os pós que usavam para pintar os olhos, feitos de metais, tinham efeitos mágicos e que as pastas feitas de carvão, folhas e raízes que usavam para delinear os olhos os protegiam contra os espíritos maus. Além destas crenças religiosas, há uma explicação prática para usarem estas pastas: a areia fina do deserto, transportada pelos fortes ventos daquela parte do Mundo, ficava colada à maquiagem e não entrava nos olhos.

Busto de Thalia, musa da Comédia

Busto de Thalia, musa da Comédia

Na Grécia, as mulheres eram vistas como seres inferiores e pouco mais inteligentes do que crianças ou homens com doenças mentais. Não eram, sequer, consideradas cidadãos livres. As obrigações das mulheres resumiam-se a cuidar das filhas e da casa, da qual raramente saiam. Ser vista em público por outra razão que não fosse acompanhar o marido ou ir ao templo era uma atitude censurada – era algo que só as escravas e as mulheres muito pobres faziam. Os relatos que nos chegaram da Grécia Antiga foram quase todos escritos por homens e não se pode ter a certeza do que se passava no Gineceu (a parte da casa reservada para as mulheres) e do que usavam. O que sabemos é que usavam pós e pastas claras para tornarem a pele mais pálida e que é possível que usassem pétalas esmagadas nos lábios e faces para os tornar levemente rosados.

Mulher romana

Mulher romana

Na Roma Antiga, as mulheres, apesar de mais livres, ainda não podiam participar da política (pelo menos oficialmente). É por isso que também nãos nos chegaram muitos relatos. Porém, sabemos mais do que sabemos sobre as Gregas. Sabemos que também usavam pastas à base de giz e talco para tornarem a pele mais pálida e que usavam sombras de diversas cores. Quanto mais coloridas, melhor. Aliás, o filósofo Plautus (que morreu em 184 A.C.) escreveu que “Uma mulher sem pintura é como comida sem sal.”. Usavam-se pinturas para pestanas (cílios) e carmim para corar as faces. A depilação era uma prática comum e o uso de perfume era muito popular entre as mulheres mais ricas.

O povo Judeu dos tempos Bíblicos já conhecia a maquiagem e há registos de que usavam as mesmas coisas que os Egípcios. Aliás, podemos encontrar referências na Bíblia ao uso de maquiagem, nomeadamente por Jezebel  e no livro de Ester, bem como em vários outros livros da Bíblia onde se aconselha a não se usar maquiagem ou onde se liga a maquiagem a mulheres de conduta considerada duvidosa.

Enquanto as mulheres Europeias tentavam clarear a pele, inclusivamente usando produtos que hoje sabemos serem altamente venenosos e prejudiciais, as mulheres do Médio Oriente (Pérsia, nomeadamente) e da Índia usavam Henna, uma pasta acastanhada, para colorir mãos e cara com ou sem desenhos específicos, acreditando que isto traria boa sorte e que este ritual as fazia mais próximas da Natureza.

Na Parte 2 falaremos sobre a época Medieval, o Renascimento e o século XVIII. Espero que tenham achado este artigo interessante. Confesso que me deu muito gosto escreve-lo. 

Anúncios

9 Respostas to “História da Maquiagem – Parte 1- Egipto, Grécia, Roma e Israel”

  1. Paulo Vasco Pereira Abril 1, 2012 às 7:47 pm #

    Delicioso artigo.
    Continuação de um bom domingo.

  2. Jackeline Monteiro Setembro 19, 2012 às 9:20 pm #

    Sem palavras para esse artigo! Considero maravilhoso.

  3. maria do carmo Maio 28, 2013 às 3:18 am #

    Encantador. Peço sua autorização para utilizá-lo na Feira de Ciências do Colégio onde trabalho .Faremos cartazes com a História da maquiagem e a História das Tranças e, no local terá uma cabeleireira e um maquiador para fazer demonstrações nas alunas.

    • mickysantos Maio 28, 2013 às 9:48 am #

      Obrigada! Claro que tem autorização, se houver mais alguma coisa em que eu possa ajudar, basta dizer. Se depois me pudesse enviar uma foto do evento eu ia ficar muito agradecida!

  4. rak Janeiro 14, 2014 às 6:55 pm #

    Olá!
    Você teria as fontes de onde tirou as informações?
    Estou fazendo um trabalho sobre a história e vejo o quão difícil é de encontrar fontes confiáveis…
    🙂

    • mickysantos Janeiro 21, 2014 às 2:08 pm #

      Olá! Desculpe a demora em responder. Estas foram informações que fui colectando ao longo do tempo, pelo meu interesse e pelos cursos que fiz, etc. Bons livros com referências que dizem o mesmo são o Makeup Manual da Bobbi Brown, O Poder da Maquilhagem de Isabel Lindim e Antónia Rosa e ainda Classic Beauty: The History of Makeup de Gabriela Hernandez. Espero ter ajudado!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Inspiração | Invicta Maquiagem - Setembro 21, 2013

    […] mais óbvio possível – Cleópatra, a Rainha do Nilo. Já falamos sobre a maquiagem usada na antiguidade, mas foi ao de leve. No Egipto as mulheres mais ricas usavam sombras e khol, o que hoje conhecemos […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: